Porto de Santos abrirá um escritório na China: ''Romper as barreiras''

Escritório deve ser inaugurado em novembro. Presidente da Codesp visitou a China e participou de evento internacional.

O Porto de Santos irá montar um escritório na China no segundo semestre deste ano. O presidente da Codesp, Casemiro Tércio de Carvalho, viajou para Ningbo na semana passada e voltou nesta segunda-feira (15). Ele participou de um evento internacional, onde apresentou os investimentos previstos para o Porto de Santos e teve reuniões com o objetivo de realizar parcerias comerciais com o mercado chinês.

Tércio participou do 5º Fórum Internacional de Cooperação Marítima e Portuária da Rota da Seda (The 5th MaritimeSilk Road PortInternational Cooperation Forum). O evento internacional teve a presença dos maiores portos do mundo, de empresas de navegação e logística e da indústria marítima.

O Fórum discutiu a chamada “nova rota da seda”, uma proposta do governo chinês que prevê investimentos em diversos países nas próximas três décadas, visando integrar transportes em vários continentes.

“O Brasil ainda não está integrado oficialmente no “One belt, One Road”, que é a interligação da economia chinesa com todas as economias do mundo. A China mesmo está investindo neste processo e isso não está chegando à costa atlântica”, disse Tércio.

O presidente da Codesp foi o único presidente de um porto latino-americano a participar do evento como debatedor. Ele apresentou os investimentos previstos feitos no Porto de Santos, como concessões e novas áreas de expansão.

“Apresentamos a importância do Porto de Santos para esta iniciativa. A economia brasileira tem tudo a ver com a rota do oriente. A China é o principal parceiro comercial do Brasil e também do Porto de Santos”, disse ele.

Tércio também se reuniu com presidentes de outros portos para discutir iniciativas sustentáveis. Segundo ele, o Brasil está a frente de outras países. “Enquanto eles falavam de trocar a matriz energética de fontes fósseis para limpas, o Porto de Santos é abastecido por uma hidrelétrica própria centenária. Outro aspecto da sustentabilidade é o homem. Se não se respeitar a mão de obra local, não se está sendo sustentável”, falou.

Como a China é o maior parceiro comercial do Brasil, a missão comercial também teve a intenção atrair investimentos e cadeias produtivas para o Porto de Santos. O presidente da Codesp teve encontros com associações comerciais e fez visitas a operadores logísticos. Segundo ele, não foi assinado nenhum acordo, mas algumas iniciativas já foram mapeadas.

A ideia do presidente da Codesp, inclusive, é abrir o primeiro escritório avançado de um porto do Brasil na China. Segundo Tércio, o escritório em Xangai será em conjunto com o Estado de São Paulo. A Codesp já contratou o profissional responsável pelo escritório chinês, mas que deve ficar no Brasil.

“Já tivemos uma reunião com o diretor para ocupar um espaço em um novo escritório, provavelmente, em novembro. O objetivo é romper as barreiras culturais para aproximarmo-nos do mercado chinês, um estreitamento importante de relações”, falou.

China e Brasil

A China foi o maior cliente comercial das importações do Porto de Santos em 2018. Cerca de 21% (US$ 10,34 bilhões) de tudo que foi importado pelo porto santista veio daquele País. A China também foi o maior destino das exportações em 2017 com US$ 8,5 bilhões e 18,15 milhões toneladas.

Fonte: G1